Carta do Presidente da Refer

NOVO CICLO, NOVOS DESAFIOS
Tal como os seres vivos, as empresas na sua existência atravessam vários ciclos, numa transição entre o nascimento, o crescimento a renovação e a morte.
Em cada ciclo as empresas enfrentam novas e diferentes situações, aconselhando a correções nas trajetórias, obrigando ao ajustamento de práticas e à compatibilização das organizações com as novas realidades, forçando-as a mudarem as suas estratégias e, também, a procurarem inovação, eficiência e criatividade.
No momento presente impõe-se que pensemos em renovar, ganhar e garantir o espaço que nos permitirá contrariar o esmorecer imposto pelas dificuldades vividas.
Atravessamos dias em que a incerteza é a regra, em que o ambiente tecnológico, económico e social muda de forma repentina obrigando a ajustamentos, ações e remodelações.
A hora é de mudança, de sacrifícios, de contenção, de rigor, mas tal deverá ser encarado como um desafio, um caminho de oportunidades, de valorização pessoal, de competências e da iniciativa individual e coletiva.
A nossa empresa tem forças e vulnerabilidades particulares e terá necessariamente que encontrar respostas diferentes, ajustadas à sua dimensão e realidade singular. Para tal o esforço e empenhos coletivos e de compromisso são o principal valor.
Coloquemos de parte resistências, desmistifiquemos alguns medos e anulemos os receios que a incerteza amplifica, mas que nos permitirão encontrar uma luz no fim do túnel.
É na renovação que está o vencer dos desafios, o contrariar da fraqueza e da debilidade.
Encaremos este novo ciclo como uma força impulsionadora para a nossa renovação.
 Novembro de 2012
Presidente do Conselho de Administração
Rui Loureiro

Transportes públicos sem gratuidade

 

Os transportes rodoviários, fluviais e ferroviários ficam vedados a utilizações gratuitas salvo raras excepções.

Acabou a gratuidade nos transportes públicos. Os funcionários das empresas de transportes e membros de forças policiais continuam a poder utilizá-los sem pagar, mas apenas e só se estiverem no exercício das suas funções. Até agora, as forças policiais podiam também viajar do local de residência para o trabalho sem pagar. No entanto, essa benesse é agora revogada, segundo a versão preliminar do Orçamento do Estado para 2013 a que o Diário Económico teve acesso.

O mesmo documento diz ainda que esta nova regra tem natureza imperativa sobre qualquer norma, regulamentação ou contrato de trabalho actualmente em vigor.

Fonte: http://economico.sapo.pt/noticias/transportes-publicos-sem-gratuidade_153712.html

APLICAÇÃO NA REFER DO CÓDIGO DE TRABALHO

APLICAÇÃO NA REFER A 3ª ALTERAÇÃO AO CÓDIGO DE TRABALHO

Comunicado do CA da CP

Ver o comunicado do CA  da CP,    >Aqui<